Departamento de Florestas Plantadas

Agricultura e Abastecimento

23/03/2018

Agricultura familiar deverá suprir 100% da alimentação escolar em escolas paranaenses

Todos os dias, mais de um milhão de refeições são servidas a alunos de escolas estaduais no Paraná. Agora, a boa notícia é que todas essas refeições passarão a ser fornecidas por agricultores familiares de nosso estado.

Os alimentos, adquiridos de 144 associações e cooperativas, abastecerão nada menos que 2.146 escolas espalhadas por todos os nossos 399 municípios. A formalização do acordo aconteceu nesta segunda-feira (19/03/2018), na sede do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (FUNDEPAR).

“Essa negociação vem sendo conduzida desde 2011”, conta o Secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara. Segundo ele, o Paraná é o primeiro estado do Brasil a se adequar às diretrizes do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “O que vem da roça é bom para a criançada”, diz Ortigara. “Deixa de ser alimento enlatado para ser natural, vindo diretamente da terra.”

Ortigara disse almejar também um cenário em que, futuramente, toda a alimentação escolar seja fornecida por agricultores familiares orgânicos ou agroecológicos do estado. “Temos esse desafio”, antecipou o secretário. “Enquanto isso, nosso dever é minimizar o uso de insumos químicos, cuidar bem do solo, da água e rumar para a conversão de novas áreas, para que possamos um dia promover, de forma sustentável, orgânica e agroecológica, toda a alimentação escolar.”

Mas atingir esse objetivo não será fácil. Por isso, a cerimônia no FUNDEPAR marcou também o lançamento de um Grupo de Trabalho Intersetorial Estadual — que se dedicará ao estudo dos possíveis caminhos para o cumprimento dessa audaciosa meta. O plano é que, até 2030, 100% da alimentação escolar paranaense seja orgânica ou agroecológica.
À esquerda, assinatura do contrato em cerimônia no FUNDEPAR; à direita, o secretário Norberto Ortigara fala sobre a importânica da agricultura familiar para o estado do Paraná [Foto: Henrique Kugler]

Fazem parte desse grupo de estudos o Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA); o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER); o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR); o Ministério Público; o Instituto Ambiental do Paraná (IAP); a Comissão da Produção Orgânica (CPOrg) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); o Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (CEDRAF); secretarias estaduais; entre outras entidades.

“Estamos muito contentes em poder garantir a nossos estudantes um alimento rico, nutritivo e fresco; pois aprender a comer e a se nutrir com qualidade também faz parte do processo educativo”, comenta a diretora-técnica do FUNDEPAR, Maria Teresinha Ritzmann. “Além disso, uma iniciativa pública como essa é excelente oportunidade para aprimorarmos o desenvolvimento rural sustentável de nosso estado a partir de uma boa política de planejamento.”

Para o engenheiro agrônomo João Carlos Zandoná, diretor-presidente do CPRA, esse momento deve ser celebrado como importante marco para a agricultura paranaense. “Mesmo professores, em sala de aula, poderão abordar o assunto de modo a ensinar a importância de uma boa formação nutricional e, ainda, mostrar aos alunos que a produção orgânica ou agroecológica é uma forma viável de se produzir alimentos e preservar o meio ambiente”, diz. “Pela alimentação de qualidade, podemos formar cidadãos de qualidade.”
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.