Departamento de Florestas Plantadas

Agricultura e Abastecimento

04/01/2019

Emater e Cooperaliança formalizam parceria para incentivar produção de carnes nobres


O Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) assinou um termo de cooperação técnica com a Cooperaliança, de Guarapuava. O objetivo é otimizar a capilaridade da Emater, presente em todo o estado fazendo assistência técnica e extensão rural para os produtores rurais, integrada com a competência da Cooperaliança em assegurar mercado para os criadores de bezerros e os terminadores de bovinos meio sangue angus e de cordeiros precoces. A produção de carnes nobres atende a demanda de um mercado em franco crescimento e que remunera melhor os criadores.


A expectativa é elevar o padrão genético e as técnicas de manejo do rebanho de bovinos e ovinos de corte do Paraná, aliado à garantia de mercado justo e firme para os criadores, que é praticado com muita transparência pela Cooperativa Cooperaliança de Guarapuava. Os extensionistas do Instituto atuarão na estratégia do Programa Pecuária Moderna, para garantir melhorias nas pastagens, na correção e fertilidade do solo para melhorar a produtividade forrageira, incentivar o uso da inseminação artificial e touros de alta genética, entre outras tecnologias modernas.


O Paraná tem um potencial enorme para crescer e ser referência nacional na produção de carne bovina e ovina de alta qualidade, contando atualmente 6,5 milhões de cabeças de bovinos de corte em 56.820 propriedades aptas para a modernização tecnológica e um grande salto de qualidade, à semelhança do que já aconteceu com as lavouras (soja, milho, etc), assim como na avicultura, na piscicultura e na suinocultura.


A Emater disponibilizará inicialmente um extensionista com atuação exclusiva na dinamização do projeto e articulação com as unidades do Instituto Emater onde existe potencial de crescimento das atividades. A Cooperativa ficará responsável pelos custos de deslocamento e hospedagem dos técnicos, além da manutenção dos veículos de trabalho. Mesmo a parceria começando com a Cooperaliança, todas as cooperativas de carne que tenham interesse no projeto podem procurar a Emater, já que no estado existem seis cooperativas atuando nesse setor.


O diretor presidente do Instituto Emater Richard Golba explica que, embora as pessoas imaginem que a pecuária de corte não seja rentável para a agricultura familiar, isso é um engano. “Certamente é sim uma boa alternativa, sobretudo em áreas com solos menos favoráveis para a agricultura. Agora, estamos formalizando esse termo de cooperação porque queremos expandir essa oportunidade de negócio”, diz. O Paraná tem mais de 5 milhões de hectares de pastagens, a maior parte com baixas produtividades, sendo cerca de 2 milhões com algum grau de degradação. Por isso, é necessário melhorar a produtividade.


“Ou seja, aquilo que hoje é um grande problema ambiental e econômico tem pleno potencial para ser um grande gerador de renda com manejo ambientalmente correto do solo”, diz o diretor-presidente da Emater, Richard Golba. Com isso, os produtores garantem mais renda ao produzir animais precoces de alta qualidade genética, e o consumidor terá a oportunidade de degustar carnes nobres de alto padrão com preços acessíveis.


O presidente da Cooperaliança, Edio Sander, destaca que a parceria com a Emater é antiga, e o convênio vem para oficializá-la. “Isso dará possibilidade para desenvolver nosso trabalho a nível estadual”, diz. Atualmente, a Cooperaliança tem 142 cooperados. Em conjunto, a cooperativa e o Instituto vão aumentar o incentivo à produção animal de qualidade, para buscar melhor remuneração no mercado. “A parceria atende a uma demanda da cooperativa e uma necessidade da Emater, de poder ir a campo, incentivar investimento em tecnologia, e ao mesmo tempo garantir uma renda melhor para o produtor”, completa Sander.



Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.