Departamento de Florestas Plantadas

Agricultura e Abastecimento

01/08/2019

São José dos Pinhais sedia operação simulada de aftosa

O município de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, vai sediar entre os dias 11 e 17 de agosto um simulado em emergência sanitária para atendimento de foco de febre aftosa.

O simulado faz parte do Plano Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), com a coordenação técnica do Comitê Veterinário Permanente do Mercosul (CVP/Mercosul) e Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa).

Em todo o Paraná, aproximadamente 180 mil propriedades rurais reúnem 9,3 milhões de bovinos, animais suscetíveis à doença.

O serviço veterinário oficial do Estado participará do simulado com 65 fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), que colaborou na organização.

Além deles, o treinamento envolverá 38 servidores estaduais de outros estados, 37 do Ministério da Agricultura, sete da Defesa Civil, dois da prefeitura de São José dos Pinhais e 12 profissionais de países como Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile e Paraguai.

O treinamento simulado já foi notificado à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). O objetivo é praticar em nível regional (na região de São José dos Pinhais há aproximadamente 740 animais suscetíveis à doença) a capacidade técnica no controle e saneamento de um foco de febre aftosa, abordando procedimentos de diagnóstico, colheita de amostras, investigação epidemiológica, rastreabilidade, sistema de informação e registro de investigações, medidas de biossegurança, procedimentos de contenção e erradicação, seguindo as diretrizes do Plano Nacional de Contingência para a doença, integrante do Pnefa.

TESTE - “A ideia é treinar a equipe não apenas do Paraná, mas de todo o Brasil, para a ação necessária sobre um foco de febre aftosa, envolvendo teoria e prática”, explica o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias. Segundo ele, o simulado vai testar vulnerabilidades, e é um treinamento para resolver problemas da maneira correta em eventual necessidade. Espera-se a participação de cerca de 150 pessoas.

O Paraná foi escolhido pelo Ministério da Agricultura para sediar o evento por estar no processo de suspensão da vacinação contra febre aftosa.

A campanha de novembro poderá ser cancelada se o Ministério reconhecer o Paraná como Estado livre de febre aftosa, sem vacinação. Depois disso, a expectativa é que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) chancele o novo status paranaense em maio de 2021.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.