Com participação do Estado, Mariópolis promove a Festa da Uva
21/01/2023 - 11:05

O apoio para que a fruticultura seja mais difundida e praticada no Paraná está entre os principais objetivos do Sistema Estadual de Agricultura (Seagri). A participação do Estado em feiras que têm as frutas como estrelas é uma das formas de fortalecer e ampliar a cadeia. Uma delas, a Festa da Uva de Mariópolis, no Sudoeste do Estado, que se estende até domingo (22), foi prestigiada pelo secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, que participou da abertura na noite desta sexta-feira (20), no Parque de Eventos Arnaldo Weiss.

“O Estado do Paraná é grande produtor de alimentos, tem um peso importante nas principais cadeias, mas ainda estamos devendo no setor de frutas, legumes, verduras e flores, mas principalmente em frutas”, disse Ortigara. “Ainda buscamos muita fruta fora do Paraná, e muitas que poderíamos estar produzindo aqui”. Segundo ele, o Estado produz cerca de 50 mil toneladas de frutas. “É quase nada. Temos exemplos grandiosos no Brasil e, principalmente, na América do Sul, com Argentina e Chile. Mas nós também temos bom clina, por isso a gente pode crescer, e crescer muito”.

PROGRAMAS - Além do apoio institucional com a presença do Estado em eventos, a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) lançou, em 2019, o Programa de Revitalização da Viticultura Paranaense (Revitis), que tem como objetivo incentivar a produção, agroindustrialização, reorganização da comercialização e desenvolvimento do turismo relacionado à uva e seus derivados. Também foi implantado um viveiro de material propagativo de videiras em Santa Tereza do Oeste, com capacidade para produzir 100 mil varas ao ano.

O programa já atendeu 31 convênios com prefeituras, garantindo apoio direto a grupos de produtores organizados no montante de R$ 5,3 milhões. Foram beneficiados diretamente 295 produtores familiares com mudas, materiais, corretivos, fertilizantes, conjuntos de irrigação e equipamentos para agroindústria da uva.

Também com foco nos pequenos produtores, incluindo os fruticultores, o Programa de Apoio ao Cooperativismo da Agricultura Familiar (Coopera Paraná) atende projetos de cooperativas e associações da agricultura familiar interessadas em investir nas estruturas e fortalecimento dos negócios, particularmente a industrialização dos produtos agrícolas.

O Banco do Agricultor Paranaense igualmente tem uma das linhas de financiamento voltada para cadeias alimentares, entre elas a fruticultura e olericultura, com o Estado subsidiando parte dos juros. “Temos que estimular a produção de frutas, legumes e verduras, e incentivar que as compras sejam feitas de produtores do próprio município, o que fortalece a produção local e gera densidade econômica muito grande”, propôs Ortigara.

COOPERATIVA - Segundo o prefeito Mário Paulek, a produção de uva tem importância fundamental para o município. “Envolve agricultores familiares que têm nessa cultura uma fonte de renda não alternativa, mas que em muitos casos já é a principal na propriedade”, disse. A área de uva está em expansão e, segundo o Departamento de Agricultura do município, são cultivados 74 hectares entre frutas viníferas e de mesa. As variedades mais presentes são bordô e niágara branca e rosada. Mas também há BRS, isis, núbia, vitória e vênus.

A Cooperativa Vinícola São Francisco de Sales (Coopersales) é a principal entidade que congrega vitivinicultores da região. São cerca de 50 produtores, que devem contribuir para que a produção de uva no município alcance 1,3 milhão de quilos na atual safra. A cooperativa foi agraciada com recursos de dois editais do Coopera Paraná. No primeiro, de 2019, foram liberados cerca de R$ 396 mil, que possibilitaram a melhoria na qualidade da produção anual de 80 mil litros de vinho. No segundo, foram destinados quase R$ 404 mil para a ampliação da fábrica de sucos.

Os produtores de uva do município, de forma geral, também foram beneficiados pelo Revitis. O Estado liberou cerca de R$ 750 mil do programa para Mariópolis. Estão sendo beneficiadas 34 famílias com infraestrutura e mudas para iniciar ou renovar os parreirais. De acordo com o Valor Bruto da Produção (VBP), elaborado pela Seab, o faturamento do setor foi de R$ 4.087.000,00 em 2021.

O cultivo de parreirais e o hábito da fabricação de vinhos coloniais chegaram à cidade na década de 40, com colonizadores italianos oriundos do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. A Festa da Uva foi agregada à comemoração do padroeiro de Mariópolis, São Francisco de Sales, em 1991. Em 2019, como proposta de turismo rural, foi criado o Caminhos da Uva, um passeio pelas comunidades de Nossa Senhora do Carmo e São Pedro.

PRESENÇAS - Além do secretário, prestigiaram o evento o presidente em exercício da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Manoel Luiz de Azevedo, o gerente de Cadeias Produtivas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná), Hernani Alves, o chefe do Departamento de Florestas Plantadas da Seab, Brenno Menezes de Campos, a chefe do Núcleo Regional da Seab em Pato Branco, Leunira Viganó Tesser, o gerente regional da Adapar, Pedro Castro Tondo, a gerente regional do IDR-Paraná, Rosane Dal Piva Bragato, e o técnico do Departamento de Economia Rural, Ivano Carniel, entre outras autoridades.

GALERIA DE IMAGENS