Embaixadas conhecem a capacidade produtiva da agroindústria paranaense
22/11/2022 - 17:52

Representantes das embaixadas de El Salvador, Guatemala, Irã, Panamá e Reino Unido visitaram nesta terça-feira (22) a Cooperativa C.Vale, em Palotina, com o objetivo de conhecer o processo de produção. A capacidade produtiva do Estado, com respeito ao meio ambiente e às normas sanitárias, foi bastante elogiada. Os convidados puderam acompanhar todo o processo industrial nas unidades de peixe e frango.

A visita foi acompanhada pelo secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.  “A vinda dos representantes desses países sinaliza para uma aproximação, para uma prospecção de mercado, fortalece as relações comerciais para ampliar o nosso esforço de vender a produção paranaense para o mundo”, disse. “Vocês são bem-vindos para entender nossa forma de ser e faremos tudo para receber bem e atender as necessidades de alimento do mundo.”

O presidente da C. Vale, Alfredo Lang, destacou a história de quase 60 anos da cooperativa que congrega pequenos, médios e grandes produtores. “Mas estamos muito focados nos pequenos”, salientou. “Uma das coisas que mais chama a atenção é que as comunidades tinham começado a esvaziar e ir para a cidade, mas agora acontece o inverso, eles moram nas comunidades, estão com mais conforto, com área pequena de terra, bem diversificada, bem explorada tecnicamente, o pequeno produtor ganha dinheiro.”

O embaixador do Panamá, Miguel Lecaro Bárcenas, que visitou o Paraná pela primeira vez, salientou o fato de Brasília ser uma cidade administrativa e diplomática. “É preciso sair de Brasília para conhecer o Brasil de verdade, o Brasil trabalhador, o Brasil empreendedor, e este é um exemplo magnífico porque vemos produção com sanidade e também muito cuidado com o meio ambiente”, afirmou.

Segundo Bárcenas, a visita ao Paraná e à cooperativa representa oportunidade. “Oportunidade de aprendizagem, oportunidade de intercâmbio, oportunidade de comércio”, enumerou. Ele apresentou o Panamá como “plataforma logística muito importante”. “Qualquer empresa que estabelecer um ponto no Panamá não tem só o mercado do país, tem o mercado da América Central e do Caribe”.

O diretor de Comércio da Embaixada do Reino Unido, Martin Maccombe, ressaltou a importância do Paraná no setor de agroindústria. “É importante estar aqui para ver as indústrias de produção, para ver a qualidade dos sistemas, o cuidado com o meio ambiente, ver como tudo funciona para dar mais confiança às pessoas de nosso país”, disse.

A ministra conselheira e encarregada de Negócios da Embaixada de El Salvador,  Iveth Zoraida Pineda Panameño, acentuou o compartilhamento de experiências com o Estado do Paraná, onde o país instalou um Consulado Honorário. “Tentamos fazer parcerias em cultura, e precisamos seguir avançando porque o Estado tem grande experiência com a agricultura”, destacou. “Nosso país também está reativando a agricultura e esta visita é muito importante.”

O embaixador do Irã, Hossein Gharibi, destacou que o Paraná e o Irã já têm uma boa relação comercial. Eles fornecem fertilizantes, e o Estado envia soja, milho, carne de boi e de frango. “As empresas iranianas estão sempre em contato com Paranaguá, e essa relação é importante”, afirmou.

Também estiveram presentes a ministra conselheira da Embaixada da Guatemala, Lissete Ordoñez Saénz, a analista comercial da Embaixada do Reino Unido, Thaysa Caracas de Oliveira, o vice-chefe de missão do Panamá, Zuriany Zadday Rodriguez, e o assessor técnico da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Agricultura, Marco Túlio Santiago.